Início > Meus Artigos, Reflexões > AMAR É EXPOR

AMAR É EXPOR


Renato A. O. de Andrade

——————————

O Amor é paciente, não é invejoso, não se ostenta, não se incha de orgulho, não procura seu próprio interesse (Paulo de Tarso)

Em nossa vida cotidiana estamos sempre entrando em conflitos de diversas maneiras, seja em casa, no trabalho, na escola, na faculdade, etc. Onde há mais de uma pessoa envolvida, há a probabilidade de conflito.  Então para evitar quaisquer tipos de confrontação, as ditas autoridades de algumas instituições sociais (família, religião, governo etc.) e até mesmo muitos de nós usamos a imposição, isto é, sempre queremos ter a palavra final.

As imposições são mecanismos de controle, tanto pessoal como social, para obrigar uma pessoa ou um grupo de pessoas a obedecerem àquilo que se está impondo, ganhando muitas vezes o status de leis absolutas, ou seja, de questionamento inadmissível. No entanto, na abordagem do amor verdadeiro as imposições não existem. Como Paulo deixa claro, e Jesus também, o amor não busca seu próprio interesse, mesmo que esteja certo. Portanto, o amor não impõe, mas expõe.

Ao expormos à pessoa uma solução para um conflito, estamos dando oportunidade a ela para que ela mesma se resolva, isto é, pela consciência dela, ela poderá decidir alguma coisa, sem nenhuma imposição por trás disso. Ou seja, para que possamos mostrar a pessoa que a atitude dela está equivocada, temos que mostrar os motivos e os porquês do caminho que seria o mais correto.

Um exemplo prático poderia ser dirigido aos jovens. Não é necessário e nem mesmo funciona mais hoje, os pais imporem a castidade aos seus filhos. Ao invés disso, deve-se conversar abertamente com eles sobre o tema, mostrando as vantagens de uma postura de castidade e finalmente, de fidelidade ao futuro conjugue, e falar dos riscos enormes para a saúde a nível físico, emocional e pessoal de uma vida promíscua e sem compromisso tanto para eles quanto para a outra pessoa. Assim, pelo amor demonstra-se as próprias vantagens do amor.

Para um casal, solucionar conflitos não é nada fácil porque a maioria deles aparentemente exigem um resultado imediato. Por isso, muitos homens abusam da sua posição de marido para impor na esposa aquilo que ele quer, e semelhantemente fazem algumas esposas, usando de diversas “chantagens” . Mas um dos grandes trunfos do amor verdadeiro está na paciência e na negação do interesse próprio. Assim, usando a exposição, isto é, cada um sentar e expor aquilo que acha melhor e justificando cada posicionamento, os dois chegarão a um consenso que seja viável para o casal.

Já está  historicamente comprovado que as imposições sempre acabam muito mal nas relações humanas. Se amar é projetar-se no outro, nesse projetar vem também a negação da imposição, porque ela é somente um meio de obter vantagem para um interesse próprio, o que não é de maneira alguma uma característica do amor

Amar é expor.

Expor é educar.

Logo, quem ama, educa.

Este é o santo graal das relações humanas.

Anúncios
Categorias:Meus Artigos, Reflexões
  1. Wz
    11/11/2010 às 23:01

    Usou silogismo hipotetico de novo hein huahuhuha Belo texto pena q foi pequeno pr aum assunto q gera um bom papo :D

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: