Início > Meus Artigos, Teologia > ARREPENDIMENTO: A PREPARAÇÃO PARA O CAMINHO DO SENHOR

ARREPENDIMENTO: A PREPARAÇÃO PARA O CAMINHO DO SENHOR


Esboço do estudo realizado na Aliança Bíblica Universitária (ABU) na quinta feira 27/05/2010 no CEUNES.

——————-

1 – ARREPENDIMENTO, A PREPARAÇÃO PARA O CAMINHO DO SENHOR

O verbo “Arrepender” no grego é metanóia, segundo o dicionário de Strong. E significa muito mais do que um simples pedido de desculpa, significa mudança de vida e de pensamento, tomar uma firme postura oposta aquilo que foi feito anteriormente. Assim, é muito diferente do que mero remorso.

Embora a profecia teoricamente se refira ao aparecimento físico de João Batista e sua antecedência ao ministério de Jesus, podemos ver na expressão “Preparai o caminho do Senhor” como uma referência a pregação do arrependimento como uma preparação para a recepção da graça de Deus em nossas vidas.

Psicologicamente falando, o arrependimento é uma dor sentida por uma dor causada.

A Bíblia diz que os homens aborrecem a Deus, isso é, Ele como Pai se entristece e se enfurece pelos nossos erros, porque nossos erros não afetam somente a nós, mas ao nosso próximo. Assim, o homem pecador deve se arrepender e procurar não cometer mais aquele pecado, porque sente em si mesmo que o que ele fez causa dor a Jesus.

Logo, o caminho do Senhor passa necessariamente pela preparação para se andar nele, que é a necessidade de nos arrepender de tudo aquilo que fazemos que desagrada a Deus.

2 – MUDANÇA DE VIDA E ATITUDES

João diz aos religiosos da época: Raça de víboras! Porque João os chamava de modo tão forte assim? O dicionário de português qualifica como um dos sentidos da palavra víbora: pessoa falsa, traiçoeira. João dizia isso aos judeus (principalmente para a liderança) porque eles pregavam o que não viviam, ou seja, tinham uma fé teórica, baseada somente na Teologia.

O alvo das pregações de João Batista eram os judeus. Isso significa que até mesmo os que se intitulam povo de Deus poderiam estar iguais ao mundo, porque não havia a genuína transformação de vida, mas sim mera religião. Deus está chamando atenção do seu povo, para que verdadeiramente se convertam a Ele.

O profeta mostra a eles como é que se faz as coisas: pela prática dos frutos de arrependimento, isso é, os frutos do Espírito. Se o arrependimento é mudança de pensamento, isso também implica em mudança de atitude perante Deus e o próximo. Com isso, a pessoa passa a fazer o contrário do que fazia antes. (Ef. 4: 25-32)

3 – A PRÁTICA DA FÉ

Durante todo o período dos profetas do Velho Testamento, a frase mais usada por Deus para se referir a Israel era “voltem para mim com sinceridade de coração e pratiquem o amor ao próximo e eu os perdoarei”. Era um chamado à prática da fé. Os judeus criam que apenas seguindo sistemas legalistas estavam de bem com Deus, quando na verdade estavam criando uma falsa concepção de Deus e de sua própria fé.

Se cremos em Jesus, então devemos mudar nossas atitudes em relação ao próximo, isso é, devemos parar de fazer tudo aquilo que prejudique a alguém. Devemos por exemplo, observar o Sermão do Monte, onde está toda a síntese do Reino de Deus. Porque foi o próprio Jesus que disse: “Se vocês crêem em mim, então façam o que eu digo, porque o que eu digo, isso faço”. Isso significa a prática diária da fé.

    Ao mesmo tempo em que salienta a prática da fé, João demonstra também a urgência dela: “O machado já está em sua posição, e toda árvore que não dá fruto, será cortada e queimada”. O mesmo diz Jesus um pouco mais a frente. Ou seja: há a urgência necessidade de nos desfazermos de nossa carne e deixar que o Espírito Santo nos conduza a prática da fé, pois aquele que diz que crê mas não pratica os frutos do Espírito, está crendo em vão, porque na verdade não crê em Jesus.

      Necessitamos moldar e submeter todas as áreas de nossa vida à vontade de Deus, para que então Ele possa nos chamar a ser pró-ativos em seu Reino.

      Perguntas:

        1 – Diante de tudo o que foi exposto, será que de fato nos arrependemos de nossos pecados mais ocultos ou meramente sentimos remorso?

        2 – Como podemos exemplificar um genuíno arrependimento?

          3 – Quais são os frutos do Espírito? De que modo podemos exercê-los?

            4 – Nossa fé em Jesus se resume em meras convicções religiosas ou de fato o conhecemos para acreditarmos nele?

              5 – Como podemos colocar em prática nossa fé em nossos relacionamentos diários?

              6 – Na faculdade, como temos agido perante nossos amigos e colegas? Será que estamos de fato fazendo diferença?

                  7 – Como está nossa pró-atividade em relação à realidade do Reino de Deus?

                  Anúncios
                  Categorias:Meus Artigos, Teologia
                  1. Nenhum comentário ainda.
                  1. No trackbacks yet.

                  Deixe um comentário

                  Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

                  Logotipo do WordPress.com

                  Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

                  Imagem do Twitter

                  Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

                  Foto do Facebook

                  Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

                  Foto do Google+

                  Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

                  Conectando a %s

                  %d blogueiros gostam disto: